My Visitor's Origins ;)

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Introdução à Conclusão

Já vamos a meio do mês e ainda não tinha «postado» nada...



A verdade é que a vida é constituída de ciclos... e dado estar em recta final de estágio, cá por Lisboa, estas minhas últimas semanas não têm sido nada fáceis...



O importante é que tenho sido forte... as Ineses estão no Porto, mas continuam a dar a força de sempre, e por cá, o Filipe, a Marta e a Paz, vão sendo a surpresa constante como amigos... verdadeiros. Ao André não lhe tenho dito nada... E o Nuel desapareceu (puff!).



Não estou sozinho.


... Ainda bem.


Ainda assim, este meu capítulo por Lisboa está a uma semana do fim. Nele constam numerosos episódios... que ficarão para a MINHA HISTÓRIA e para a de quem faço parte :) .



Vim para Lisboa, não só para trabalhar durante este tempo, mas para VIVER Lisboa. :) E acho que de certa forma o fiz. E soube bem.


Soube a pouco.


Estou neste momento a escrever o meu relatório critico-reflexivo de final de estágio, e deparei-me com estas palavras: "Introdução à Conclusão".



Yah...



Mesmo!


Está a começar a acabar a minha vida cá por terras alfacinhas...



... E como nostálgico que sou, já começo a pensar no que andei por cá a fazer desde o primeiro dia :) ...



Não pode ser! Tenho de fazer o relatório... (ódio!!!)




...Ainda só a fiz a porcaria da Introdução...



Leiam e tentem não vomitar...



(Caso para dizer: LOOOOOOOOOOL)




"O Ensino Clínico de Integração à Vida Profissional é uma parte importante da recta final do Curso de Licenciatura em Enfermagem, dando oportunidade ao aluno a aquisição de experiência profissional específica, contribuindo por conseguinte, para se inserir no mercado de trabalho. Aqui, o aluno aprende com a convivência no meio de trabalho e com o cumprimento das tarefas nos prazos estabelecidos pelo próprio aluno, pois é da sua própria responsabilidade dar prioridade aos objectivos educacionais propostos e aqueles que o próprio pretende/espera atingir.

No âmbito do estágio de Ensino Clínico de Enfermagem Hospitalar – Estágio de Integração à Vida Profissional, a decorrer no 1º semestre do ano lectivo de 2008/2009, foi-nos solicitado a realização de um relatório final crítico–reflexivo decorrente do projecto de competências realizado, que reunisse, de forma sucinta, todas as experiências vivenciadas e competências adquiridas.

Este relatório reflexivo integra as actividades desenvolvidas durante o período de estágio, desde o dia 19 de Novembro de 2008, data de início do estágio, até ao presente momento, 23 de Janeiro de 2009, sob orientação da Professora Eunice Henriques e tutoria da Enfermeira Fátima Caldas, e que tem como cenário a Unidade de Cuidados Intermédios da Cirurgia Cardiotorácica do Hospital de Santa Marta (Centro Hospitalar de Lisboa Central), em Lisboa.

A importância deste relatório final surge da necessidade de uma análise crítico-reflexiva do período de estágio, relatando os objectivos, as expectativas criadas e/ou goradas, as dificuldades e progressos alcançados.

Conseguir aprender, conduzir e agir perante os cenários que me foram sendo propostos foi, e continua a ser, um desafio, que por vezes, não é fácil de superar. As diferentes situações e contextos de aprendizagem por que fui passando, foram sempre mais ou menos estimuladoras, mobilizando assim a minha energia, autonomia e auto-estima, para uma evolução cognitiva favorável, com papel activo na construção das minhas competências como profissional de enfermagem.

Durante a prática clínica, apercebemo-nos das lacunas deixadas pelo ensino teórico, e a primeira consequência, que dificulta a nossa actividade enquanto enfermeiros, são as dificuldades de aplicação da teoria à prática; é este o primeiro grande desafio de um aluno de enfermagem num novo contexto de aprendizagem clínica. “ (…) Os alunos de Enfermagem apropriam-se do “discurso académico”, do conhecimento simbólico que explica as coisas, mas não o transformam em “conhecimento prático”, aquele que faz com que as coisas sejam feitas. (…) ” (cit. Bento, 1997). A confrontação/aplicação do conhecimento teórico presente à prática clínica suscita então, dificuldades, e portanto, a urgência em desenvolver essa lacuna, através de análise crítica e reflexão, para que se torne numa característica (espírito crítico) perene em nós, futuros enfermeiros, profissionais privilegiados no domínio do saber, em constante crescimento.

Pretendo que este relatório seja reflexo da minha evolução, e que se apresente como um instrumento que exiba o processamento e integração dos aspectos por mim vividos, para aspectos pensados. Este relatório tenta então transmitir de forma precisa, concisa e objectiva o que aprendi, como me senti, como experienciei diversos aspectos (positivos/negativos), a forma como superei dificuldades apresentadas, e o que mudou em mim neste estágio, isto é, e em que medida(s) esta etapa de formação contribuiu para o meu desenvolvimento pessoal e profissional, e de que forma favoreci esse mesmo crescimento.

Para a execução deste relatório, adoptei uma metodologia descritiva e crítico-reflexiva (resultante de um processo introspectivo e retrospectivo), no que concerne às actividades por mim desenvolvidas. Espero ser então, capaz de ser bem sucedido, na descrição de todas as experiências novas, sentimentos e emoções sentidas, que tanto marcaram, por se terem tornado em lições para a minha vida.

Abordarei inicialmente os objectivos gerais e específicos propostos para este estágio, e de seguida, analisarei o meu desempenho, onde vigorará o acto de reflectir, motivo deste relatório, e de que forma os objectivos propostos inicialmente, foram ou não atingidos.

E porque a orientação pedagógica me condicionou profundamente, farei uma pequena abordagem relativamente a esta temática.

Finalmente, tentarei desenvolver algumas sugestões e expectativas para mim próprio, relativamente ao futuro enquanto profissional, concluindo o corpo deste relatório, no qual reside mais um capítulo da minha vida.»



(Sem comentários!...)

1 comentário:

Bruno Rosa disse...

Vomitei-me nos últimos parágrafos, mas, concordo com os primeiros! :)